Paroníquia: o que é, como ocorre, os perigos e mais! - Blog Meu Pé de Conforto

Paroníquia: o que é, como ocorre, os perigos e mais!

Postado em 07/08/2019

Alguma vez você já teve uma inflamação no dedo do pé ou da mão, com vermelhidão, dor e até mesmo acúmulo de pus debaixo da unha? Esse problema tem nome, sendo conhecido como paroníquia, e precisa de atenção porque pode se agravar para uma infecção.

A paroníquia não é um problema raro, pois está relacionado com lesões que afetam a cutícula, por exemplo, como ao fazer as unhas. Mas ela também é desencadeada por outros fatores, que podem fazer com que seja aguda ou crônica.

Felizmente, esse problema tem tratamento e pode ser prevenido. Nós mostraremos como fazer isso neste artigo. Continue lendo para conhecer as causas, os sintomas e tratamentos da paroníquia, a fim de cuidar bem das suas mãos e dos seus pés, mantendo as inflamações e infecções bem longe!

O que é paroníquia?

A paroníquia, também chamada de panarício e conhecida popularmente como unheiro, é o nome dado a um processo de inflamação que acomete a pele em torno das unhas dos pés ou das mãos. Ela também pode causar o acúmulo de pus debaixo da unha ou na pele ao seu redor.

Essa infecção tem início devido a feridas causadas pela retirada da cutícula (a membrana que protege as unhas) com um alicate, o hábito de morder ou puxar a pele, a utilização de agentes químicos (como o detergente) ou, em algumas pessoas, pelo contato constante com água.

Essas lesões e agressões permitem a entrada de agentes irritantes e/ou infecciosos na pele e na unha, o que desencadeia a resposta inflamatória do organismo. Também ocorre vermelhidão e inchaço e, em casos mais graves, pode até levar à alteração e perda da unha.

A paroníquia pode se apresentar de duas formas diferentes: aguda e crônica. A seguir, explicamos mais detalhadamente cada uma dessas manifestações.

Paroníquia aguda

A paroníquia aguda surge subitamente, geralmente em apenas uma unha, apresentando uma área inchada bastante dolorosa, normalmente após uma lesão. Em geral, os casos agudos são originados por uma infecção por bactérias, que penetram na pele por meio de um ferimento.

Como dito, essa ferida pode ser causada por um descuido da manicure ou podólogo na hora de retirar a cutícula ou realizar outros procedimentos, pelo hábito de roer unhas ou retirar a pele ao redor delas, ou mesmo pela mania de chupar as pontas dos dedos.

Paroníquia crônica

Geralmente, a forma crônica é causada por uma infecção por fungos — comumente do tipo Candida — também conhecida como micose. Ela se desenvolve de forma mais lenta e usualmente em várias unhas, sendo percebida pelo aumento da sensibilidade na região, inchaço progressivo e vermelhidão.

Esse tipo de acometimento costuma ser mais frequente em pessoas que têm muito contato com água ou solventes químicos. Além delas, os diabéticos também estão mais propensos a desenvolverem esse tipo de paroníquia.

Quais são os principais sintomas da paroníquia?

Os quadros agudos de paroníquia se caracterizam por uma dor muito forte, inchaço e vermelhidão na pele da área afetada pela inflamação. Também pode ocorrer a presença de pus debaixo da unha ou sob a pele.

Já os casos crônicos manifestam sintomas mais brandos, com o local sensível, avermelhado e ligeiramente inchado. A cutícula se mostra lesionada, decompondo-se, e podemos notar umidade na pele ao redor da unha.

Powered by Rock Convert

Como a paroníquia é diagnosticada e tratada?

Os sintomas da paroníquia podem ser percebidos pelo próprio indivíduo por meio da observação do local afetado. Isso, principalmente, nos caso agudos, quando há maior incômodo e também pode ser notada a presença de pus debaixo da unha.

De toda forma, o ideal é procurar um médico clínico geral ou dermatologista, para que ele possa analisar a lesão e dar um diagnóstico preciso. Além disso, em casos crônicos pode ser necessário examinar os tecidos ou as secreções, para ter certeza do tipo de micro-organismo que desencadeou a infecção, a fim de proceder com o tratamento corretamente.

O alívio dos sintomas pode ser obtido pela aplicação de compressas de água quente de duas a quatro vezes ao dia. No entanto, isso não dispensa uma visita ao dermatologista para que as medidas cabíveis sejam tomadas.

No caso das infecções agudas, o tratamento poderá envolver o uso de anti-inflamatórios de aplicação local e antibióticos, além das compressas quentes. Já nos casos crônicos, pode haver o uso de antifúngicos e outros medicamentos para o tratamento de micoses.

Em algumas situações, poderá ser necessário fazer uma drenagem do local para retirar o pus e aliviar a dor. Mas tome cuidado: para evitar riscos de uma infecção generalizada, não realize a drenagem em casa! Procure sempre a orientação médica.

Quanto tempo demora para a unha se recuperar?

Quando se manifesta a paroníquia aguda, embora o incômodo seja maior, a inflamação é contida em pouco tempo. Seguindo corretamente o tratamento, em cerca de 5 a 10 dias a unha e a pele estão recuperadas, sem deixar sequelas ou danos permanentes.

No caso crônico, quando há infecção por fungo, o tempo de recuperação é maior. São necessárias algumas semanas, geralmente 6, para que a colonização seja contida, e há casos em que a unha fica deformada por causa dos micro-organismos.

Se a infecção for muito extensa, existe a possibilidade de a unha se soltar da pele. Tanto no caso da deformação quanto da perda da unha, a recuperação é ainda mais lenta, porque ela precisa crescer novamente para que esteja em condições perfeitas.

Além disso, mesmo que o tratamento seja seguido à risca, a paroníquia pode voltar se a pessoa não tomar os devidos cuidados. Mesmo uma unha que ainda esteja se recuperando dos fungos pode ter uma reincidência se o indivíduo se expor mais uma vez aos agentes infecciosos.

Como prevenir a inflamação e o pus debaixo da unha?

Na maioria das situações, é possível prevenir o surgimento da paroníquia e seus sintomas evitando os fatores que a desencadeiam. Alguns exemplos são:

  • preferir não retirar a cutícula;
  • utilizar luvas ao trabalhar com água e produtos químicos;
  • evitar roer as unhas;
  • manter as mãos e os pés sempre limpos e secos.

Para as mulheres, também é recomendado diminuir o uso de acetona e removedores de esmalte, pois eles ressecam a pele e podem favorecer o aparecimento de lesões. Já os diabéticos devem manter o nível de glicemia sob controle e seguir corretamente o tratamento médico.

A paroníquia não é um problema grave, mas pode evoluir para infecções perigosas, por isso, deve ser identificada no começo e devidamente tratada O ideal, na verdade, é evitar que a inflamação e o acúmulo de pus debaixo da unha aconteçam para manter a saúde das mãos e dos pés. Portanto, adote as medidas preventivas a fim de evitar lesões e agressões.

E você? Já passou por esse problema também? Conhece alguma outra medida preventiva? Deixe seu comentário e conte para a gente!

Powered by Rock Convert
Powered by Rock Convert

J.B.F INDÚSTRIA DE CALÇADOS EIRELI - CNPJ: 26.847.557/0001-56 - Rua Coronel Tamarindo, 2817 | Franca-SP | CEP: 14.405-140