Sapatos para trilha: guia completo para você fazer a escolha certa - Blog Meu Pé de Conforto

Sapatos para trilha: guia completo para você fazer a escolha certa

Postado em 02/03/2021

Quem tem espírito aventureiro sabe a importância de usar sapatos para trilha em vez de qualquer calçado na hora de fazer esse tipo de caminhada. Na verdade, escolher modelos adequados para cada atividade que fazemos no dia a dia é fundamental para preservar a saúde dos pés e o nosso bem-estar.

Além disso, com o sapato errado, é possível que você nem chegue ao seu destino e acabe com os planos da aventura. Pior ainda é carregar prejuízos por mais tempo, comprometendo a rotina por dores ou incômodos causados por uma má escolha.

Se você gosta de fazer trilhas ou pretende começar a se aventurar, não deixe de conferir este guia completo que preparamos para ajudar a encontrar o seu melhor companheiro! Acompanhe o conteúdo e entenda mais sobre tipos de sapato.

Características essenciais dos calçados para trilha

Em primeiro lugar, vamos falar do que é essencial. Um calçado para trilha (hiking ou trekking, como algumas pessoas chamam esse tipo de atividade física) precisa considerar aspectos básicos como:

  • impacto dos movimentos;
  • elevações do terreno;
  • condições climáticas diversas;
  • diferentes tipos de solo.

Afinal, nunca se sabe o que vamos encontrar ao seguir uma trilha. Por mais que o caminho já seja conhecido, imprevistos podem acontecer. Outro ponto importante é pensar no perfil de cada “trilheiro”, o que pode influenciar totalmente nas escolhas.

Por exemplo, quem prefere trilhas mais leves (no estilo hiking) não deve precisar de equipamentos tão específicos ou resistentes. Mesmo assim, é importante estar com um sapato adequado para não acabar com os pés.

Já as trilhas de nível mais avançado exigem uma atenção especial. Quando a quilometragem é maior ou se o tipo do percurso é mais complexo, o ideal é ter todos os acessórios que vão ajudar a garantir um bom desempenho.

Qual seria a principal característica de um calçado para trilha? Conforto. Aliás, esse é um item fundamental para qualquer sapato, independentemente da ocasião, concorda? No caso de quem precisa de um modelo para esse tipo de atividade esportiva, existem ainda outros fatores que não podem ser deixados de lado:

  • solado resistente e com aderência;
  • material impermeável;
  • proteção em pontos estratégicos (como o tornozelo);
  • amortecimento;
  • circulação de ar.

Tudo isso vai ser útil para ter uma experiência positiva. As consequência de andar com um sapato inadequado podem ser graves ou não, mas o ideal é evitar qualquer tipo de prejuízo, concorda? Escorregões, quedas, torções, fraturas, rompimentos e as famosas bolhas estão entre os principais riscos.

Bota ou tênis? 

Essa é uma dúvida comum, até porque as botas e os tênis são as primeiras opções que vêm à mente quando pensamos em trilhas. A questão é: qual desses sapatos é melhor? Os dois são ótimas opções, mas para tomar a sua decisão é importante conhecer mais sobre cada um deles.

Mais uma vez, um ponto que deve fazer parte das suas considerações para encontrar a resposta para essa pergunta é o nível ou tipo da atividade praticada. As trilhas mais curtas e fáceis podem ser feitas com calçados menos resistentes — como um bom tênis.

Vale lembrar que não estamos falando de qualquer modelo de tênis. Para essas ocasiões, precisamos de tênis que sejam apropriados para trekking, e não somente um sapato para caminhar. Isto é, nada de colocar o mesmo calçado que você usa para sair com os amigos, passear no shopping ou ir para a academia.

A diferença é que os tênis tendem a ser mais leves do que as botas, e isso faz toda a diferença. Em terrenos menos acidentados, não há necessidade de ter um sapato tão pesado e resistente. Além disso, as botas são mais longas para trazer maior estabilidade ao caminhar, o que ajuda a evitar possíveis torções, machucados e dor no tornozelo.

Os pés ficam mais protegidos com as botas? Sim, só que nem sempre você vai precisar de tanta proteção. Ao mesmo tempo em que a bota é mais estável e resistente, ela também costuma ser mais pesada e limita um pouco alguns movimentos — o que é útil em alguns momentos, em outros acaba prejudicando.

Outro detalhe importante é relacionado ao peso carregado durante a trilha. Quem está fazendo uma aventura levando uma mochila com equipamentos, comida, barraca, roupas e outros itens precisa de um calçado que ofereça maior suporte. Nesse caso, ter uma bota resistente é bom para ter estabilidade ao carregar o peso do corpo mais o peso extra da bagagem.

Se a intenção é fazer uma trilha mais rápida e se você nem vai precisar levar muita coisa, o tênis pode ser uma opção melhor e mais prática. Nem pense na ideia de usar chinelos, sandálias ou qualquer outro sapato que não proporcione conforto e a acomodação necessária.

Quem tem algum problema ou condição específica nos pés também deve redobrar os cuidados. Pergunte ao seu ortopedista sobre as melhores indicações para fazer atividades físicas com segurança.

Por último, não deixe suas preferências de lado, levando em conta sua experiência e gosto pessoal. Saiba que existem trilheiros fãs de tênis e outros fazem tudo usando botas confortáveis. O que mais importa é priorizar sua proteção!

Como escolher o melhor calçado para trilha

Já citamos algumas questões relevantes. Agora, vamos detalhar um passo a passo para facilitar a sua escolha. Acompanhe cada tópico a seguir!

Avalie o tipo de percurso

Não dá para ignorar o tipo de trilha. Se você nunca fez isso antes, saiba que existem percursos de diferentes níveis, e buscar essa informação com antecedência é essencial para evitar surpresas desagradáveis. Por exemplo, distância e elevação máxima estão entre os dados essenciais.

Em geral, as trilhas são divididas entre graus de dificuldade: fácil, médio e difícil. Quem tem mais experiência se arrisca mais, claro. Porém, isso também vai influenciar na escolha do calçado.

Em trajetos mais íngremes e solos acidentados, a aderência e resistência do sapato contribuem muito para uma boa caminhada. Caso contrário, você corre o risco de chegar ao destino com os pés machucados ou de literalmente acabar com o seu tênis (se ele não tiver as características ideais).

Pense nas condições do local

Fazer trilha é uma atividade um tanto quanto vaga, concorda? Você pode passar por dentro de uma mata, ter que atravessar rios, subir montanhas, lidar com animais no meio do caminho, enfrentar lama ou até encarar pedaços cheios de neve.

Digamos que tudo pode acontecer, a não ser que você conheça muito bem o percurso. Mesmo assim, se o objetivo é explorar outros lugares, é fundamental estar preparado e bem equipado.

Isso quer dizer que as condições de cada local podem variar muito. Temperaturas muito baixas ou trechos com água demandam sapatos impermeáveis, por exemplo. Já os terrenos cheios de pedras requerem um solado mais resistente.

Enfim, são muitas as variáveis, e é preciso pensar sobre isso na hora de escolher um modelo. Depois de comprar o seu sapato de trilha, reflita novamente antes de seguir para qualquer direção.

Considere a qualidade acima de tudo

O segmento aventureiro atrai muita gente, e há uma infinidade de opções para esse mercado — não só de calçados, mas também de outros acessórios. Só que nem todos os produtos têm boa qualidade, e esse é um diferencial de que você não pode abrir mão.

Independentemente de cor, marca ou design, o foco precisa ser o material do sapato. Afinal, esse é um investimento no seu bem-estar durante as trilhas, e você não vai querer uma bota ou um tênis que não tenha boa durabilidade, certo?

A qualidade está em todos os detalhes, desde a costura até a tecnologia empregada. Tudo vai impactar o conforto e a segurança oferecidos. Por isso, pesquise bastante e analise todos os pontos.

Experimente

Nada melhor para escolher um sapato do que colocá-lo nos pés. Esse é o momento de conferir todos os mínimos detalhes e ter a certeza de que o modelo escolhido é mesmo uma boa opção para suas aventuras.

Experimente os dois pés e dê alguns passos para perceber como está o nível de conforto. Assim como outros sapatos, o tamanho deve ser exato para o seu pé —nem maior, nem menor.

Uma das dicas mais valiosas para os iniciantes é não deixar para usar a bota ou tênis apenas no dia de fazer a trilha. A recomendação de “amaciar” o calçado antes faz toda a diferença para não estranhar no primeiro uso. Faça alguns passeios para ir se acostumando com o modelo, como ir ao supermercado ou fazer uma caminhada na cidade.

Outros aspectos importantes sobre fazer trilhas

Não só um bom calçado vai garantir que a caminhada seja um sucesso. É claro que você já deve ter percebido que essa é uma parte fundamental, mas outros cuidados vão ajudar bastante na missão! Confira a seguir o que destacamos.

Use roupas adequadas

Os sapatos são como as roupas dos pés, e o resto do corpo também precisa ser protegido da melhor maneira. Por isso, não deixe de usar roupas adequadas para fazer esse tipo de atividade. Caso contrário, você corre o risco de ficar com os movimentos limitados e desconfortável o tempo todo.

A dica é investir em peças que sejam de tecido próprio para a prática esportiva, pois elas oferecem maior elasticidade e permitem que o suor seja absorvido.

Inclusive, não esqueça que as melhores aliadas dos sapatos para trilha são as meias! Elas contribuem para a acomodação dos pés e evitam problemas (como bolhas e outras feridas).

O fundamental é que elas estejam em boas condições e não sejam de puro algodão — esse é um material que absorve muita umidade e deixa o pé abafado. Mais uma vez, vale a pena procurar modelos específicos para esportes em vez de colocar qualquer meia que já esteja no seu armário.

Cuide da sua pele

Fazer atividades ao ar livre é ficar exposto o tempo todo. Isso quer dizer que a sua pele precisa estar protegida dos danos do sol. Muito além de estética, esse é um cuidado de saúde, e ficar todo “assado” vai até dificultar. Portanto, passe protetor solar em todas as áreas expostas e reaplique se for fazer uma trilha muito longa.

Mantenha o corpo hidratado

Além da pele, não deixe de lado a hidratação do seu organismo. Tomar água é indispensável para o seu bem-estar e rendimento, já que o corpo vai eliminando líquido em forma de suor.

Nossa sugestão é beber um pouco antes de partir e ao longo do caminho continuar dando alguns goles. Faça uma estimativa de acordo com o trajeto para não acabar com a sua garrafinha vazia antes do previsto e ficar com sede.

Monte uma mochila de acordo com suas necessidades

Pode ser que o seu objetivo não seja fazer grandes trilhas, daquelas que precisam de troca de roupa, barraca, comida, saco de dormir etc. Mesmo assim, ter uma mochila com itens básicos é importante.

É claro que tudo vai depender das suas necessidades pessoais e do tipo de trajeto. De qualquer forma, indicamos:

  • kit de primeiros socorros;
  • capa de chuva ou casaco impermeável;
  • garrafa de água;
  • opções de lanches práticos;
  • protetor solar;
  • celular para comunicação, se for preciso;
  • lanterna;
  • repelente.

Busque acessórios extras

Se você acha que usar um acessório extra vai trazer algum ganho para o seu desempenho, não hesite em buscar essas soluções. Um exemplo disso são as palmilhas, que tratam problemas, ajudam a corrigir a postura ou apenas deixam o calçado ainda mais confortável.

Evite andar sozinho

Se você é iniciante, não seja tão aventureiro a ponto de sair para andar sozinho. Mesmo que não tenha medo, muita coisa pode acontecer, e não ter com quem contar é complicado.

Há inúmeras histórias de pessoas que ficaram perdidas ou sem socorro. Não que isso seja motivo para desistir da ideia de fazer trilhas, porque essa é uma experiência incrível. Contudo, ter uma companhia é sempre bom, e esse não deixa de ser um cuidado.

Enfim, agora você já tem uma boa noção de como escolher sapatos para trilhas, não é verdade? Reflita sobre todas as dicas que reunimos aqui e decida qual a melhor opção para você. Aproveite para conhecer os modelos da Doctor Shoes que são ideais para isso!

J.B.F INDÚSTRIA DE CALÇADOS EIRELI - CNPJ: 26.847.557/0001-56 - Rua Coronel Tamarindo, 2817 | Franca-SP | CEP: 14.405-140