QUANDO É NECESSÁRIO TROCAR A PALMILHA ORTOPÉDICA E COMO IDENTIFICAR? - Blog Meu Pé de Conforto

QUANDO É NECESSÁRIO TROCAR A PALMILHA ORTOPÉDICA E COMO IDENTIFICAR?

Postado em 09/08/2017

09A maioria das pessoas já sofreu com problemas posturais, dores nas articulações, na coluna e nos pés, não é mesmo? E com o avanço natural da idade, esses prejuízos tendem a aparecer com mais frequência e, assim, provocar um incômodo considerável.

 

Muitas vezes esses sintomas são derivados da maneira como o paciente caminha ou corre e podem ser consequências de uma pisada inadequada. A boa notícia é que o uso de palmilhas ortopédicas e corretivas, prescritas por um especialista da área após um diagnóstico cuidadoso, é capaz de amenizar as dores e melhorar a postura.

 

Mas quando se deve trocar a palmilha ortopédica? Como saber em que momento elas perdem a eficácia? Se você tem essas dúvidas, continue a leitura deste artigo e saiba mais.

 

O material de fabricação influencia na frequência da troca

 

Na hora de trocar as palmilhas ou adquiri-las pela primeira vez, se informe a respeito do material utilizado na fabricação.

 

As palmilhas desenvolvidas com finalidade terapêutica podem ser feitas, por exemplo, de Poliuretano Termoplástico (TPU); Polifórmico Prostazote; fibra de Carbono; Polipropileno, que é um material reciclável encontrado em copos de plástico; entre outros. Em comum, apresentam características relacionadas ao conforto dos pés, como a flexibilidade.

 

Os forros podem ser produzidos a partir de couro legítimo, no caso de tratamento de dores, ou de materiais esportivos que favorecem a aderência aos pés para os atletas.

 

Portanto, a vida útil da palmilha está relacionada à maneira como ela é produzida. Quanto mais resistente o material, é claro, maior a durabilidade.

 

A título de exemplo, enquanto as palmilhas desenvolvidas para diabéticos a partir do Polifórmico Prostazote devem ser trocadas a cada quadrimestre, aquelas feitas de polipropileno podem durar até dois anos.

 

Os hábitos interferem na hora de trocar a palmilha ortopédica

 

Powered by Rock Convert

A durabilidade de palmilha ortopédica varia de acordo com o estilo de vida do usuário. Os atletas, por exemplo, que têm uma rotina intensa de exercícios físicos tendem a desgastá-las mais rapidamente.

 

Por outro lado, o indivíduo sedentário ou que não faz uso diário e contínuo das palmilhas as conservarão em condições de uso por mais tempo.

 

No primeiro caso, a periodicidade de troca gira em torno de um ano. No segundo, varia entre um ano e meio e dois anos.

 

Portadores de diabetes devem evitar o aparecimento e agravamento de lesões, sob pena de comprometer o sistema circulatório. Nesse contexto, devem trocar as palmilhas com mais frequência. Como dissemos, a média é de quatro meses.

 

O aspecto diz muito

 

Independentemente do período médio de troca das palmilhas, é importante que você esteja atento à aparência da prótese. Se antes desse período ela estiver desgastada demais, furada, rasgada ou com forte odor, pode ser um indício de que o momento de trocar as palmilhas chegou antes do que se esperava.

 

No caso da volta do desconforto e dores, procure o médico e informe a ele o ocorrido para que sejam feitas as adaptações e ajustes necessários.

 

Com base no que foi elencado, você estará apto a identificar as condições e a frequência corretas para trocar as palmilhas ortopédicas. Não se esqueça de que qualquer mudança deve ser orientada por um especialista, médico ou fisioterapeuta.

 

O uso correto das palmilhas ortopédicas certamente contribuirá, e muito, para a sua qualidade de vida.

 

Gostou do artigo? Então assine a nossa newsletter e receba outras dicas para aprimorar a sua saúde e bem-estar.

Powered by Rock Convert
Powered by Rock Convert

J.B.F INDÚSTRIA DE CALÇADOS EIRELI - CNPJ: 26.847.557/0001-56 - Rua Coronel Tamarindo, 2817 | Franca-SP | CEP: 14.405-140