Descubra quais os tipos de fraturas mais comuns e como preveni-las - Blog Meu Pé de Conforto

Descubra quais os tipos de fraturas mais comuns e como preveni-las

Postado em 21/07/2021

Não importa o quão cuidadoso você seja, às vezes você se encontrará em situações em que acabará se machucando. Pode ser uma entorse, distensão, luxação ou mesmo uma fratura. Você sofre uma fratura quando seu osso se quebra, devido à grande força que estica o tecido ósseo do osso além do limite.

Essas quebras são bastante comuns, porém existem muitos tipos de fratura. Elas podem ser patológicas causadas por um distúrbio, como a osteoporose, ou podem ser traumáticas, provocadas por forças externas.

Neste post, vamos mostrar quais os principais tipos de fraturas que existem, bem como seus sintomas e formas de prevenção. Continue a leitura!

Quais são os tipos de fraturas existentes?

Saiba agora quais são os tipos de fraturas mais comuns, que podem ocorrer!

Traumáticas e patológicas

Geralmente, esses tipos de fratura ocorrem quando se tem um problema de saúde subjacente, como osteoporose. Uma pessoa também pode obtê-las, se as células cancerosas se espalharem para os ossos ou quando um paciente tem uma doença que enfraqueceu seus ossos, como artrite, osteomielite, osteossarcoma ou distúrbios ósseos metabólicos.

O tratamento dependerá da condição subjacente, que causou a fratura. Se a doença não afetar a capacidade de cicatrização do osso, o paciente só precisará usar um gesso para imobilizar o membro. Se uma doença comprometeu a capacidade de cura do corpo, uma cirurgia poderá ser necessária.

Estresse ou fadiga

Você desenvolve esse tipo de fratura em articulações usadas com muita frequência, devido ao conjunto de microfraturas oriundas de traumas nos ossos. É uma lesão por uso excessivo e é mais comum em atletas, dançarinas de balé, corredores e jogadores de basquete.

Esse tipo de fratura se parece com uma rachadura e pode ser difícil de diagnosticar com radiografias regulares. As fraturas por estresse geralmente são causadas por movimentos repetitivos, como correr. Quem sofre esse trauma apresenta uma dor atípica de caráter progressivo e há reparação do osso que se instala de forma simultânea.

Simples

Também chamadas de fraturas fechadas, elas ocorrem quando o osso sofre quebra, mas não ocasiona na perfuração da epiderme. Uma fratura óssea é classificada como simples ou fechada, se o osso quebrado permanecer dentro do corpo e não for empurrado para dentro ou para fora da pele. Os sintomas incluem dor intensa, hematomas e inchaço.

É melhor evitar mover ou endireitar o osso quebrado, enquanto espera a ajuda chegar. Se a pessoa que sofreu o trauma tentar manipulá-lo, poderá piorá-lo e não conseguirá cicatrizá-lo adequadamente.

Expostas

É o oposto da fratura simples e haverá luxação do osso que perfurará a epiderme. Portanto, é mais provável desenvolver uma infecção nesse tipo de fratura.

Ao perfurar totalmente a pele, pode haver sangramento — e o perigo é que bactérias e outros contaminantes que contaminem o osso através da ferida aberta. Logo, existe um alto risco de desenvolver uma infecção grave.

A ferida deve ser limpa por um profissional médico, o osso quebrado requer estabilização para cicatrização adequada e a ferida aberta deve ser fechada com pontos.

Complicadas

Este tipo de fratura é considerado muito grave, pois causam graves danos em estruturas mais delicadas do corpo humano, como vasos sanguíneos, tecidos, músculos e órgãos —podendo colocar em risco a vida da pessoa que sofreu o trauma.

Completas

Uma pessoa sofre uma fratura completa, caso o osso afetado tenha sido completamente fragmentado. Nesse tipo de fratura, o osso é completamente quebrado em duas ou mais partes. Ocorre uma separação completa, que é classificada de acordo com a posição em que ocorreu a quebra:

  • transversal: a fratura é reta por meio do osso de forma perpendicular;
  • oblíqua: a fratura atravessa o osso formando um ângulo oblíquo;
  • em espiral: o osso traumatizado sofre separação e a fratura acaba formando espirais, em volta de um eixo longitudinal.

Incompletas

Uma fratura é incompleta quando as duas partes do osso se separam parcialmente, ou seja, ainda haverá alguma conexão entre os dois. Isso significa que o osso está rachado ou estilhaçado, mas não completamente separado em duas ou mais partes.

Essas fraturas são mais comuns em crianças, devido à fragilidade de seus ossos. Eles ficam suscetíveis a dobrarem, podendo ocasionar essa quebra.

Fratura por compressão

Quando os ossos são esmagados, ocorre a chamada fratura por compressão. O osso quebrado será mais largo e achatado na aparência, do que era antes da lesão. As fraturas por compressão acontecem com mais frequência na coluna vertebral e podem causar o colapso das vértebras.

Um tipo de perda óssea chamada osteoporose é a causa mais comum de fraturas por compressão. Além disso, quando uma pessoa cai sentada e causa um impacto vertical sobre a coluna, fraturas compressivas nas vértebras podem acontecer. 

Quais são os seus sintomas?

Quando uma fratura ocorre é muito comum ouvir um barulho de osso sendo quebrado. Os sintomas mais comuns de fraturas são dor intensa (aumenta de acordo com os movimentos feitos), luxação, deformidade, deformidade, hematomas, ferimentos na região da ferida e muita dificuldade para movimentar a região lesionada.

Outros sintomas podem ocorrer de acordo com a localização dos ossos que foram lesionados. Um exemplo são as fraturas vertebrais ou craniofaciais, que podem causar formigamento nos membros afetados e afetar a consciência do indivíduo.

Já, fraturas que acontecem na região peitoral podem fazer com que seja eliminado sangue pela boca e consequentemente haverá dificuldade para respirar.

Quais são as formas de prevenção?

Em muitos dos casos, uma fratura é desencadeada, por causa de uma queda, especialmente em idosos. É extremamente importante tomar determinadas medidas, a fim de minimizar o risco de queda.

Mantenha seus quartos limpos, elimine fios, use sapatos em casa e compre tapetes antiderrapantes. Use uma boa iluminação nos locais por onde precisa transitar para evitar quedas. Usar sapatos com sola de borracha também ajudará quando estiver ao ar livre.

Porém, às vezes, a fratura é resultado de alguma doença já existente, como a osteoporose (como vimos anteriormente). É recomendado ingerir cálcio e vitamina D de alimentos ou suplementos, pois ajudará a manter os ossos fortes e prevenirá qualquer tipo de fratura, resultando de causas relacionadas ao enfraquecimento dos ossos.

Além disso, inclua mais grãos integrais, amêndoas e feijão em sua alimentação, a fim de se manter saudável e ter ossos mais fortes e saudáveis.

Por fim, agora você conhece os principais tipos de fraturas existentes. Após os primeiros socorros feitos por um profissional da saúde, você deve consultar o seu médico para fazer o tratamento mais adequado. Seu médico deverá realizar alguns exames, a fim de tratar o tipo de fratura correto.

Radiografias poderão ser feitas para detectar a lesão — em alguns casos, podem solicitar ressonância magnética e tomografias computadorizadas para confirmação de diagnóstico.

Curtiu nosso post? Então, curta nossa página no Facebook e fique muito bem informado com nossas postagens!

J.B.F INDÚSTRIA DE CALÇADOS EIRELI - CNPJ: 26.847.557/0001-56 - Rua Coronel Tamarindo, 2817 | Franca-SP | CEP: 14.405-140